Cder trabalha pela unificação e sustentabilidade de entidades regionais

Brasília, 14 de fevereiro de 2020.

 

A busca pela definição e intercâmbio de modelos de sustentabilidade econômica pautou a reunião do Colégio de Entidades Regionais (Cder), durante do 9º Encontro de Líderes Representantes do Sistema Confea/Crea e Mútua. 

De acordo com o coordenador recém-eleito, a unificação de práticas será intensificada ao longo do ano. “Vamos buscar entender as dificuldades das entidades e promover o intercâmbio de experiências entre os estados para padronizar e integrar ações”, sinalizou Renato Archanjo de Castro (Crea-SP), que assume a titularidade do mandato 2020 ao lado de Valdir Pedro Schneider (Crea-SC).

Renato Archanjo de Castro (Crea-SP)

O trabalho, ainda segundo o coordenador, será alinhado à principal atribuição do Cder, que é “fornecer subsídios para que os presidentes das entidades tornem a gestão mais tranquila e transparente”. Para isso, os exemplos do colegiado de São Paulo, que reúne 184 entidades, será compartilhado com os demais estados. “Lá montamos, por exemplo, modelos de realização de eventos e campanhas publicitárias e também de prestação de contas para facilitar a rotina burocrática”, explicou. 

Fortalecimento
O esforço para garantir a sustentabilidade das representações regionais é uma continuidade do trabalho desenvolvido durante o mandato de Danilo Serrano (Crea-PR), que esteve à frente do Cder nos últimos seis meses. “Apesar de todos os problemas que temos como entidades, conseguimos nosso fortalecimento. Dois Creas, por exemplo, estão colocando em plenária a abertura do Cder nos seus estados e isso foi uma meta da nossa gestão”, comentou Serrano ao fazer a passagem da liderança do fórum para Renato Archanjo.

Antigos e novos coordenadores discutem a gestão do Cder, fórum que foi instituído no início de 2018 e teve o regimento definido em setembro do ano seguinte

Durante o último semestre, o trabalho foi centralizado em outras duas frentes: atuação parlamentar estadual e aproximação entre instituições e Creas. “Este fórum diminuiu a distância entre os Cders e os Conselhos Regionais proporcionando o intercâmbio de experiências, de modo a dar um norte para os coordenadores trabalharem em uma frente única e nivelada para poder, inclusive, ter mais força na defesa dos interesses locais”, ressaltou Danilo Serrano. 

Danilo Serrano (Crea-PR)

A realização de uma pesquisa com as associações faz parte da proposta de integração entre Cders e Creas. A iniciativa que está sendo finalizada visa obter dados para elaboração de planejamento estratégico focado na sustentabilidade das instituições. “O censo funciona para conhecermos as entidades e, assim, aproximá-las ainda mais dos Conselhos. Por conta do censo, muitas já se mobilizaram nesse sentido”, comemora Danilo, que dividiu o mandato com o coordenador adjunto Mamede Abou Dehn Júnior (Crea-SP).

 

Julianna Curado 
Equipe de Comunicação do Confea
Fotos: Marck Castro, André Almeida e Edinaldo Rufino/Confea